Archive for the ‘passo a passo’ Category

Fotinhas

março 2, 2010


Anúncios

COMEÇOU!

março 1, 2010

fotos: Bruno Fernandes (inclusive as do post acima)

Começamos a semana de unhas sujas de tinta e terra. É que o projeto começou a rolar. No último sábado, pintamos de azul um pequeno trecho do chão, arrancamos mato e espalhamos vasinhos. Foi uma área bem pequenininha, mas a mini-intervenção serviu para dar concretude às ideias abstratas que pensamos para o beco todo. Tanto foi assim que moradores começaram a se aproximar, interessados, a oferecer ajuda e dar ideias. Um menininho adorou, ofereceu-se para ser “zelador” do beco uma vez por semana e deixou a ideia sensacional de pintarmos uma parede com tinta de quadro-negro.

Eu tenho uma série de propostas, sobre as quais conversei com quem estava presente, e queria registrá-las aqui, para ver se todo mundo está de acordo. Aí vai:

1. QUE, A PARTIR DE AGORA, TODAS AS REUNIÕES SEJAM ASSIM
Vamos nos encontrar todo sábado de manhã para trabalhar, não para falar. Imagino que o tempo lá se extenda cada vez mais (podemos passar o dia todo). Passemos os dias concretizando as ideias pensadas ao longo da semana, expondo plantas, fotos e projetos para os moradores, envolvendo quem quiser ajudar, testando ideias e, semana a semana, concretamente melhorando aquele beco. Queria que já fosse assim no sábado que vem.

2. VAMOS CRIAR UM CARTAZ EXPLICANDO O PROJETO
Algo que explique o que estamos fazendo, que dê uma ideia e como vai ficar no final e que conclame as pessoas a ajudar com trabalho (basta aparecer no sábado) ou dinheiro. Esse cartaz ficaria lá a semana inteira, para começarmos a espalhar a notícia além do sábado. O que vcs acham? Qual podia ser o suporte desse cartaz? Liu, será que alguma daquela lixaiada que vc resgata no trabalho, em conjunto com um design de alguém do grupo? Precisamos também deixar um bloquinho nos sábados para registrar adesões e incluir gente na lista de emails.

3. PRECISAMOS URGENTE DETALHAR O PROJETO
Agora já está ficando claro onde queremos chegar. Precisamos detalhar cada item e dar preço a tudo, para eu ir ao mercado buscar um patrocínio. Preciso que cada grupo me mande, nesta semana, um projeto detalhado do que propõe fazer.

Termino o post com uma pergunta: e na próxima semana, o que mais vamos fazer?

Comentários são bem vindos para discutirmos esses pontos acima e chegarmos a um acordo.

Daqui para frente!!!

fevereiro 8, 2010

Pessoal,

Agradeço à Fernanda pelo esforço de construir uma ata. Neste post, eu gostaria de registrar nossos próximos passos, a partir do que rolou até agora. Acho importante para checar se estamos todos alinhados, e também para quem faltou nas outras reuniões ou quer se juntar ao grupo possa entender o que está rolando (basta escolher um grupo nas fotos das cartolinas lá embaixo). Aí vai:

>> Próximo passo!

Cada um dos 5 grupos (memória, circulação, mobiliário, verde e  arte) vai se reunir para brainstormar e traçar um plano do que pretende fazer. Atenção: Não acho que cada grupo tenha que ter um projeto único. Tem gente que prefere trabalhar sozinho, ou que tem interesse em algo muito específico: cada grupo pode se subdividir. Atenção 2: A essa altura do projeto, acho que vale a pena ter mais ideias do que é possível realizar. Com o tempo vamos focando.

>> Reunião/piquenique – 20/2

No dia 20 levaremos toalhas de piquenique e comida e nos reuniremos no beco, próximos à entrada da São Crispim. Essa será uma reunião de trabalho. Cada grupo vai levar material e desenvolver seus projetos. Os grupos contarão uns aos outros o que pretendem fazer e vamos identificar oportunidades de parcerias. Ao final dessa reunião, deveremos ter planejado nosso primeiro evento: o PIQUENIQUE DE 27/2.

>> Evento-piquenique – 27/2

Pelo que entendi, o que ficou combinado é que esse nosso primeiro evento não será um “mutirão de limpeza”, mas uma primeira chance de testar/elaborar/melhorar nossas ideias de projetos (podemos ter, em paralelo, a equipe de limpeza da sub dando uma geral). Para usar uma linguagem de designer (me corrija se eu estiver errado, Barão), o piquenique de 27/2 será uma espécie de “protótipo” do evento-intervenção de 20-21/3. A ideia é criar em pequena escala o que queremos fazer ao final do projeto. Se nosso projeto é pintar todos os muros, vamos pintar uma área de 5 metros. Se é encher o beco de hortas, vamos construir a primeira. Vamos pensar em formas criativas de permitir que as pessoas entendam nossos conceitos e interajam com eles – maquetes, cartazes etc. Não é hora de nos preocuparmos com detalhes de acabamento, o importante no dia 27 é permitir que o público entenda nossas ideias. Aí vamos testá-las: verificar como as pessoas interagem com nossos projetos. E convidar os moradores para melhorá-los e participar deles.

>> Desenvolvimento do projeto – 27/2 – 19/3

Acredito que, após o primeiro piquenique, começa um período em que cada grupo vai desenvolver seu(s) projeto(s), sem necessidade de reuniões do grupo inteiro (talvez pudéssemos nos reunir apenas uma vez, no fim de semana anterior à intervenção, para amarrar as pontas). Acho que seria legal se esse desenvolvimento fosse feito in loco, no beco (ou seja, nos encontraremos lá).

>> A intervenção! – 20-21/3

Brrrrrr…

É isso mesmo, pessoal? Vcs entenderam assim tb? Todo mundo de acordo?

abs,

Denis

Só para organizar

janeiro 28, 2010

Caros,

entrei nos posts e retranquei, para na hora de voltarmos para compilar coisas nada se perder, em duas categorias base. Claro, outras estão abertas para incluirmos. “passo a passo”, para ações cotidianas, organização nossa e tal; “ideias”, enfim, explicado já está.

Mexam no que acharem necessário. Ah, incluí meu e-mail no post lista de contatos também.

Aliás, o que vcs acham: esta lista com nossos contatos é para publicar no blog ou para ficar só na interna?

beijos

Gabi Contoli

Lista de participantes e contatos

janeiro 27, 2010

Olá galera. Janeirão, mês de férias, dias estranhos em São Paulo, essa cidade que só parece fazer sentido com trabalho… Estranhamentos à parte, achei que seria legal ir fazendo alguns registros por aqui. Pra começar, uma lista bonitinha com os nomes dos participantes desse projeto e seus respectivos contatos. Não sei se existe uma ferramenta mais adequada pra fazer isso aqui no Word Press

Fernanda

(De acordo! Lista de emails copiada toscamente de nossas mensagens)

>> OS EMAILS FORAM DELETADOS, PARA EVITAR ROBÔS SPAMEIROS. PARA VER OS CONTATOS DOS INTEGRANTES, VEJA ESTE POST: https://gotas2.wordpress.com/2010/02/02/grupos-contatos-comecos/

Primeira reunião

janeiro 26, 2010

Vai ser no sábado dia 30, às 9, no Tendal da Lapa (Rua Constança, 72). 9 mesmo!

Convidem amigos que possam/queiram/saibam colaborar!

A Lapa e a subprefeitura

janeiro 6, 2010
Pra entender um pouco da “encrenca”. Dicas da Pamela Salazar:
http://www.formspring.me/SubLapa
http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/subprefeituras/lapa/

Importando emails – 3

janeiro 6, 2010

“Sensacional!

Deixa eu tentar dar um pouquinho mais de concretude para a história toda:

1. Ótima sugestão do Rodrigo. Vamos transferir esta conversa lá para o blog, assim não abusamos das caixas postais de ninguém.

2. Valeu, Fernanda! Adorei seu plano, acho que é exatamente isso. Mas proponho uma reunião inicial, antes de irmos à rua para fazer pesquisa. Essa reunião inicial trataria do seguinte:
– tentar delimitar espacialmente a área onde atuaremos, já que a Lapa é do tamanho do Uruguai (obviamente eu exagerei, para efeito dramático)
– traçar um cronograma
– trocarmos ideias para inspirar a fase inicial da pesquisa
– aí sugiro que nós nos separemos, em grupos pequenos ou individualmente, para fazer uma pesquisa em profundidade, conversando com gente e registrando tudo
Essa reunião podia ser num sábado de manhã (não muito cedo), entre o dia 15 e 20 de janeiro.

3. Sobre a natureza desse projeto: a ideia é que isso seja um projeto de todos nós, sem dono nem hierarquia. Pelamordedeus, não tenham a expectativa de que eu comande as coisas. A ideia é que cada um de nós possa realizar aquilo que acredita, que tem vontade, que sabe, que imagina, que conseguir viabilizar. Ninguém é chefe de ninguém. Todo mundo deve se sentir à vontade para colaborar nos projetos de outros ou trazer os seus.

4. Não haverá remuneração financeira pelo trabalho. A intenção é remunerar com outras moedas: a satisfação de criar algo, a chance de colaborar com gente de áreas diferentes e que pode virar parceiro no futuro, a chance de criar “portfólio” (um trabalho que pode abrir portas para outros), a chance de botar em prática ideias que viviam sendo adiadas. Da nossa parte, eu garanto que vamos produzir um material editorial de registro do trabalho de vocês super legal, que vamos fazer todo o esforço para documentar com qualidade todas as colaborações individuais envolvidas.

5. A ideia é sermos criativos. Mas o projeto não está a serviço da nossa criatividade. Não estamos fazendo isso para afagar nossos egos ou para provar ao mundo o quanto somos geniais. Estamos fazendo isso para melhorar a vida no lugar onde vamos trabalhar. Não percamos o foco nas pessoas.

6. Alguns princípios que acho que devem nos guiar:
– permanência: algo que não termine quando o fim de semana passar.
– envolvimento local: se trouxemos os moradores para ajudar, eles vão assumir a autoria e zelar para quer a coisa dê certo.
– reprodutibilidade: vamos nos esforçar para registrar tudo nos mínimos detalhes, para depois ensinar as pessoas que quiserem fazer igual.
– open source: ninguém é dono de nada. Todo mundo é dono de tudo.
– “awesomeness”: o conceito do Casey, da revista Good, que falou no TEDx. As coisas têm que ser incríveis, divertidas, inesquecíveis. Têm que ficar gravadas para sempre na memória das crianças. Têm que ser inspiradoras.
– comunidade: não estamos aqui para competirmos uns com os outros para descobrir quem tem as melhores ideias. Estamos aqui para somar uns com os outros, para aprender uns com os outros.

Desculpem o email longo, é o último assim que mando. Na próxima vez posto no blog.
Até!
Denis”

Importando emails – 2

janeiro 6, 2010

“O que a Fernanda falou de sentir o bairro é extremamente importante. Ir lá, conversar com as pessoas, ouvir demandas, começar pelo lado mais humano da coisa, e daí partir para os brainstorms talvez seja a melhor forma de conseguirmos informações suficientes para desenvolvermos algo relevante.

Talvez a gente tbm poderia filmar nossas conversas com os moradores, com a Soninha e assessores, para disponibilizarmos alguns desses vídeos no youtube – seguindo a ideia de transparência da primeira edição ao mostrarmos o processo que originará as nossas ações.

Abração!
André Gravatá”

……….
“Muito legal. Como eu tinha dito, Denis, queria muito fazer um guerrilla gardening por aqui. Imaginar que vc passa na mesma praça abandonada todos os dias e, de repente, ela está florida e cheia de vida me parece uma fator poderoso na qualidade de vida das pessoas.

Não deixe de avisar sobre o toró de parpite.

Ab
Vitor Leal Pinheiro
O que é público é seu
http://nossoquintal.org